Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site. Você pode saber mais sobre isso em nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

CONTINUAR E FECHAR
Oferecido por

Etiópia – O berço do café e das colonizações

País é o berço do café, com diversas histórias e lendas.

Não poderia falar sobre café e não citar a Etiópia, onde tudo começou. Todos que trabalham com café e são interessados pelo assunto conhecem bem a lenda de Kaldi. Mito ou não, é fato que o café saiu de solos etíopes para conquistar o mundo. Existem teorias que as saída dos grãos se deu por meio do comércio de escravos, que estava bem ativo na época. Provavelmente o café acabou sendo levado para a Arábia por navios negreiros e, com isso, o processo de “globalização” da planta começou.

Registros indicam que a primeira vez que o café foi consumido como alimento foi pela tribo Oromos (Etiópia), que existe até hoje. Eles pegavam os grãos crus, cozinhavam na gordura e faziam uma bola do tamanho da de beisebol que comiam como um tipo de petisco. O café, que é fruto nativo da Etiópia-Áfricando, é assunto muito sério para os etíopes. Beber o café vai além da sociabilização ou prazer da bebida, trata-se de um ritual bastante respeitado e valorizado.

A Etiópia foi uma nação muito rica e próspera. Na Antiguidade, estabeleceu estreitas relações com o Egito e era principal rota comercial do Nilo. Portanto, recebia tributos de diversos Estados da Península Arábica e ainda conquistou o reino meroítico de Kush, o atual Sudão.

De uma nação rica, a Etiópia se transformou num dos países mais miseráveis do mundo devido ao clima árido, às secas periódicas e às opções dos governantes. Os conflitos políticos, religiosos e étnicos (internos e externos) castigaram e ainda castigam o país. Além dos milhares de vidas perdidas, o país investiu e continua investindo enormes quantias de dinheiro em guerras ao invés de aplicar a verba em melhorias da infraestrutura precária do país. Na verdade, a instabilidade sempre foi o maior inimigo da Etiópia, o que provocou grande atraso econômico e baixo índice de desenvolvimento humano. Investimentos em transportes, comunicações, silos e indústrias de beneficiamento ajudariam muito já que a economia é baseada na agricultura. Por falta de recursos, a produção agrícola atualmente é usada como atividade para subsistência.

A economia da Etiópia é baseada na agricultura atualmente, da qual 85% da população sobrevivem. Seu principal produto é o café, exportado para todo o mundo e a renda per capita é de menos de US$ 100. Dois terços dos etíopes são analfabetos, quase metade da população vive abaixo da linha da pobreza e padece de desnutrição crônica, apenas 11% utiliza saneamento básico e 42% água tratada. Além disso tudo, o país também sofre com a tuberculose, a malária e a AIDS. Atualmente estima-se que oito milhões de etíopes sobrevivam apenas de assistência internacional. A expectativa de vida é de 44 anos.

Curiosidade: Como na maioria dos países africanos, alem do café, existem outras bebidas produzidas artesanalmente. Os grãos são a base do areke, um destilado produzido nos quintais das casas, que é de arder a garganta!

Curioso em conhecer outros produtores de café?
Explore nosso mapa e clique no país desejado para saber suas peculiariedades na produção de café.

[kml_flashembed publishmethod=”static” fversion=”8.0.0″ movie=”https://www.mexidodeideias.com.br/wp-content/uploads/2011/03/mapa.swf” width=”550″ height=”400″ targetclass=”flashmovie” scale=”noscale”]

Get Adobe Flash player Você precisa ter o flash player instalado.

[/kml_flashembed]

5.091 respostas para “Etiópia – O berço do café e das colonizações”

  1. Valdeir disse:

    Sou brasileiro, gosto do cafe, sou filho de mineiros e que tambem produziram cafe em Goias, meu filho nascido no Brasil, hoje mora comigo nos Estados Unidos, a primeira vez que ele tomou cafe, foi quando ele tinha apenas 3 anos, quando morava na Florida ( Kissimmee ), le dei um pouquinho do saboroso liquido que eu estava tomando, ele me disse " gotoso papai ", pensei comigo, mais um cafeteiro na familia !

    • kellystein disse:

      Olá Valdeir!
      Seja bem-vindo e esperamos que nosso conteúdo agrade suas preferências cafeeiras =D
      Muito bom saber que nossa paixão pelo café pode ser hereditária, não é? hahahha

      Gostaria de saber um pouco mais sobre sua produção em Goiás. Será que você poderia nos enviar algumas informações para o contato@mexidodeideias.com.br ?
      Foi um prazer encontrá-lo por aqui.
      Abraços,
      Mexido de Ideias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *