Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site. Você pode saber mais sobre isso em nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

CONTINUAR E FECHAR
Oferecido por

Café do Brasil: Bahia (Arábica)

Os tipos de cafés arábica e robusta podem ser encontrados em larga escala na Bahia, sendo que são produzido em áreas diferentes.

Os tipos de cafés arábica e robusta podem ser encontrados em larga escala na Bahia, produzido em áreas diferentes. A distribuição espacial da atividade se dá em três pólos de produção: Planalto, Cerrado (regiões que concentram a produção do café tipo arábica) e Atlântico (robusta). Estas diferentes regiões apresentam características diferentes, demonstram níveis tecnológicos diferenciados e produzirem diversos tipos de bebidas. Para evitar confusões, dividi este post em dois. Vamos falar sobre o café arábica produzido na Bahia agora e sobre o robusta na próxima semana.

Infraestrutura da Fazenda Agronol para atender produção em larga escala.

Segundo a Associação dos Produtores de Café da Bahia (Assocafé), o estado é o quarto maior produtor de café do Brasil, responsável por 5% da produção nacional. Grande parte de suas plantações surgiu a partir da década de 70, e por isso é considerada uma área de cultivo relativamente nova. A região do planalto é a área mais tradicional e a região do cerrado utiliza alta tecnologia para produção.

Clima tropical, solo bem drenado e pivô de irrigação são alguns pontos que permitem o café ser plantado em áreas de pouca chuva no Oeste da Bahia. Grande parte da plantação de café desta região é irrigada por poços e as chuvas recarregam com abundância o subsolo de água.

Na região do Oeste, onde está a vegetação de cerrado, cidades como Barreiras e Luís Eduardo Magalhães são caracterizadas pela produção de cafés com menor acidez. As lavouras desta região são 100% irrigadas e, por isso, a produtividade é das mais altas do país. A cafeicultura desta área tem bastante força, com mais de 12,5 mil hectares, registra níveis de produtividade em lavouras de 24 meses, de 50 sacas, de 60Kg beneficiadas por hectare.

A cafeicultura da Bahia conta com excelentes vantagens competitivas para conquista de mercados mais exigentes e se destaca pela participação com cafés de alta qualidade, que são cada vez mais procurados e valorizados.

Café da Bahia (Arábica)
Arábica (76%)
Altitude média: 850 metros

Variedades de café mais cultivadas:
95% é Catuai

Sabor:
Encorpado com aroma adocicado e acidez cítrica. Retrogosto prolongado.

Algumas Cidades produtoras:
Piatã, Chapada Diamantina,Vitória da Conquista, Brejões, Luis Eduardo Magalhães, Barreiras e Poções

Algumas Fazendas da Região:
Chácara São Judas Tadeu, Fazenda Passagem Funda, Fazenda Córrego Seco, Fazenda Gerias, Fazenda Santa Bárbara, Sítio, Fazenda Lagoa do Morro, Fazenda Mimoso, Agropecuária ARAKATU, Fazenda Agronol.

Mercado

As características do Bourbon Amarelo

As características do Bourbon Amarelo
coffeelover

JACK DANIEL’S GOURMET COFFEE – O WHISKAFÉ

Bebidas

Conheça os tipos de grãos de café

5.091 respostas para “Café do Brasil: Bahia (Arábica)”

  1. Cila disse:

    Por que não colocaram Barra da Estiva, na Bahia se o café de lá é considerado um dos melhores do Brasil?

    • kellystein disse:

      Olá Cila!
      Como o Brasil é muito grande, deixamos de citar diversas cidades e fazendas. O objetivo deste post é apenas apresentar o tema central para nossos leitores. Assim, quem quiser se aprofundar na pesquisa, buscará informações mais específicas sobre cada região.

      Abraços.

      • Ademilton Ramos disse:

        Olá Kelly, concordo com vc!

        Além do café, como um bom baiano, convido todos a saber mais sobre a Chapada Diamantina que não é uma cidade e sim uma região que abriga 28 municípios e o Parque Nacional que leva o mesmo nome.

        Com beleza natural composta por serras, cachoeiras, grutas, espécies vegetais e animais raras, a região tem muita história principalmente relacionada ao ciclo dos diamantes (por isso Chapada Diamantina), lá estão as maiores altitudes da região nordeste, por isso temos cidades com temperaturas que podem chegar aos 10ºC no inverno.

        Café e Chapada Diamantina, uma dupla incrível!

        Abraços.

        • Mexido de Ideias disse:

          Olá Ademilton, como vai?
          A Chapada é realmente muito bela e exuberante.
          Acreditamos ser um local que todos têm que conhecer.
          Obrigado pela visita, abraços.

    • manu disse:

      Precisamos ter esse cafe na cidade de salddor

  2. janio_mar@hotmail, disse:

    Fiquei sabendo que o cafe consumido no Vaticano, vem de Ibicoara na Bahia, gostaria de saber detalhes

  3. Valdecir Lima disse:

    Por acaso alguém tem algum projeto de cafe no sistema Luis Eduardo Magalhães?

  4. Ranieri disse:

    Gostaria de saber qual cidade mais próxima de salvador produtora de café arábica ?

    • mexidodeideias disse:

      Oi Ranieri,

      Obrigado pela mensagem! Na reportagem acima você encontra uma lista com as principais fazendas produtoras de café arábica na Bahia. 😉

      Atenciosamente,
      Equipe Mexido de Ideias

  5. Guilherme Rodrigues disse:

    Boa noite, falo do sul de minas, trabalha na area de qualidade de cafes, desde a area de pós colheita ate a analise sensorial, tenho grande vontade de trabalhar na regiao da bahia, alguem sabe como esta o mercado de trabalho por ai ou alguma oportunidade.
    Obrigado
    Guilherme Rodrigues

  6. Leonardo disse:

    Sou da chapada diamantina BA , queria plantar umas 5 hectares de café queria saber qual café mais apropriado para essa região?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *